Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

LITERATURA

DA MEMÓRIA…JOSÉ LANÇA-COELHO

 

REENCONTRO COM LEITORES DA “CAMILO”

 

         Uma tarde destas, num dos meus locais favoritos – uma livraria – reencontrei cinco alunos da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, que me reconheceram de uma sessão de literatura, que fiz com os livros que escrevo, naquele estabelecimento de ensino, há três anos. Uma delas, lera até a biografia que escrevi sobre Hans Christian Anderson, lembrando-se que o título do livro envolvia uma varinha de condão.

         Sempre que vejo jovens em idade escolar, procuro dialogar com eles, matando saudades do meu inesquecível percurso de professor, ao mesmo tempo que ausculto as suas preferências literárias para que elas orientem os livros que diariamente escrevo.

         O diálogo começou com duas raparigas, uma habitante em Carnaxide – localidade onde moro actualmente -, outra de Tercena. Perguntei-lhes se precisavam de ajuda para procurar um livro, elas agradeceram, entretanto reconheceram-me, e como as palavras são como as cerejas, no momento seguinte, já me perguntavam quem eram os meus autores preferidos.

         Respondi-lhes com a minha trilogia: Pessoa, Eça e Torga. Depois, perguntaram-me se gostava dos livros de José Rodrigues dos Santos. Respondi-lhes afirmativamente, e que era curioso, porque a semana passada acabara de ler com muito agrado o livro dele O Sétimo Selo. Falámos de outros livros do jornalista da RTP que elas também já tinham lido, com gosto. Porém, a minha “conterrânea” de Carnaxide, disse-me que gostava mais de autores estrangeiros (claro que ambas já tinham lido os quatro livros «obrigatórios» de Stephanie Mayer sobre vampiros) e, mais uma vez, me questionam sobre as minhas preferências de autores estrangeiros.

Falo-lhes de um autor que descobri há uns anos, o escocês Ken Follett – e, logo uma delas me diz que leu Os Pilares da Terra, lembro depois um italiano que me tem enchido as medidas, Umberto Eco, e que ambas desconhecem.

Eis que chegam outros três colegas, duas raparigas e um rapaz. Este último, como não podia deixar de ser, adora futebol, e lembra-se imediatamente, da biografia que escrevi de Rui Costa. As outras duas colegas também se recordam de mim. Aliás, a memória do nosso encontro literário está tão fresco que, inclusivamente, citam os nomes das colegas que tinham sido minhas alunas na Escola Professor Noronha Feyo, em Queijas.

Pedem-me, então, para voltar à escola delas para falar da minha obra literária. Digo-lhes que para que isso se realize, devem falar com a professora de Português, para ela me convidar a ir à escola. Dou-lhes o meu mail para que me contactem. Pergunto-lhes também se conhecem uma professora lá da escola, que é a mãe do futebolista Miguel Veloso, que foi meu aluno dois anos.

Respondem-me afirmativamente e, logo de seguida, perguntam-me se ele era bom aluno Digo que era um aluno acima do suficiente, e automaticamente meto a mão no bolso, de onde retiro um porta-chaves com o emblema do Benfica, que ele me ofereceu, quando jogava neste clube, época em que fui director da turma dele.

Não quero tomar tempo a estes jovens, e digo-lhes para não se prenderem comigo. Dizem-me que vão ao cinema, mas que não podem ir ver o filme planeado, porque é para maiores de 16 anos, e uma delas faltam-lhe dois meses para atingir essa idade e, por isso não lhe venderam o bilhete. Surpreende-me este facto, pois desconhecia que estas proibições, de que fui vítima durante o salazarismo, tinham voltado, e recuando na minha memória, conto-lhes que a hipocrisia do Estado Novo, barrava a entrada a menores de 21 anos, apesar de algumas das candidatas a espectadoras, estarem significativamente grávidas, num filme nórdico, de nome Helga, sobre educação sexual, em que se abordava a reprodução humana, tema que actualmente é abordado na disciplina de Ciências Naturais no 5º ano de escolaridade. Ficam os cinco de boca aberta, como se eu falasse de outro planeta.

Despedimo-nos, ao mesmo tempo que me pedem uma crónica sobre o nosso reencontro. Aqui está ela, e não se esqueçam que me podem escrever para o mail que vos dei, como fazem dezenas de meus alunos, para falarmos de tudo e, sobretudo, para me ensinarem como vai o vosso mundo de jovens, para que não tenha surpresas, como essa de não se poder ver um filme por faltarem dois simples meses para a idade estipulada. Se quiserem podem também visitar o meu blog        http://cempalavras.blogs.sapo.pt

publicado por cempalavras às 22:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. ...

. DIÁRIO IRREGULAR

. ORAÇÃO A DEUS, de VOLTAIR...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2012

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds