Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

CONTO

DA MEMÓRIA … JOSÉ LANÇA-COELHO

 

8 OU 9, EIS A QUESTÃO

 

            O homem fazia do número nove, o algarismo da sua vida.

Nascera no dia nove de um mês qualquer. Também a nove de outro mês conhecera a mulher da sua vida, ou pelo menos assim a classificara, enquanto vivera com ela. A nove dum outro mês nascera o seu primeiro filho. Ainda a nove de qualquer mês tivera o seu primeiro e grande êxito da sua vida profissional que, afirmando-se na música, também se relacionava com a poesia.

Ao longo da sua vida, preenchida com inúmeros êxitos, fizera do nove, um talismã em que acreditava piamente, o que o levou a escrever uma canção que se chamava precisamente “Número Nove”.

O seu êxito foi tão retumbante que, se tornou num dos homens mais conhecidos do universo. Em qualquer latitude da Terra, a sua cara era identificada pelo cidadão mais comesinho de qualquer país, inclusive, nas muitas ditaduras que grassavam no planeta, que, embora o tivessem banido, não conseguiam ofuscar-lhe o seu fulgor, apagar-lhe a sua imagem.

Houve até uma revista norte-americana que, nos idos anos sessenta do século XX, o considerou uma das três personalidades mundiais, ao lado de dois presidentes de nações.

O número nove era como a poção mágica em que Obélix caíra quando era criança, e lhe dera uma força sobrenatural para se opor aos Romanos.

Numa palavra, quando o nove estava envolvido em qualquer assunto, o homem acreditava que nada lhe podia acontecer, porque ele tinha a convicção da estreita relação, metafísica e mágica, existente entre os números e as pessoas, ou melhor dizendo, entre os algarismos e as almas dos mortais.

Todos os dias nove de cada mês, o homem comia e bebia tudo o que sabia que lhe podia fazer mal à saúde, metia-se no carro e acelerava que nem um louco, numa palavra, fazia tudo o que humanamente lhe era interdito, pois sabia que estava protegido pelo espírito do número em que se escudava.

O homem em questão era oriundo do velho mundo, da Europa, onde vivera os seus primeiros trinta anos, depois mudara-se para o novo mundo, a América dos sonhos dourados, não que precisasse de dinheiro, mas, porque Nova Iorque se tornava cada vez mais o umbigo do mundo moderno.

Após uma paragem de alguns anos, o músico e poeta voltara a gravar as canções que tão bem compunha e regressara à crista da onda. Estava, de novo, no auge. Amado pelos seus inúmeros fãs em todo o mundo.

Um dia, ao sair do seu apartamento nova-iorquino para gravar um novo disco, foi abordado por um fã que, lhe pediu um autógrafo. Deu-o e foi para o estúdio.

Ao princípio da noite, quando regressou a casa, deparou-se com o mesmo fã que o esperava, de novo, junto à porta do seu apartamento de luxo.

Instado para dar um novo autógrafo, preparou-se para o fazer, só que, desta vez, não o conseguiu, pois o fã disparou um revólver contra o seu peito.

Levado para o hospital, acabou por morrer.

Mas, era dia nove! Como é que o seu número da sorte falhara?

A explicação era bem simples. Na verdade, já era dia nove na Europa, onde ele nascera, só que na América era ainda a noite do dia oito.

O feitiço do nove só funcionava no continente onde o homem nascera, desde que ele lá estivesse…

 

Escrito a 8 de Dezembro de 2010, em homenagem a John Lennon, no trigéssimo aniversário do seu brutal assassínio.

 

publicado por cempalavras às 23:03
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. ...

. DIÁRIO IRREGULAR

. ORAÇÃO A DEUS, de VOLTAIR...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2012

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds