Segunda-feira, 24 de Setembro de 2012

...

“A LANÇA”

JORNAL DE CULTURA

24 DE SETEMBRO DE 2012

 

BULHÃO PATO – 1º CENTENÁRIO DA MORTE

         Nascido em Bilbau, Espanha, a 3 de Março de 1829, embora o seu pai fosse filho de portugueses, faleceu no Monte da Caparica, Portugal, a 24 de Agosto de 1912, fazem agora cem anos.

         Após passar a infância na aldeia de Deusto, Bilbau, veio para Portugal devido à guerra civil espanhola.

Fixa-se em Lisboa, onde se matricula na Escola Politécnica, embora o seu maior interesse seja a literatura.

         Começa a colaborar em diversos órgãos de comunicação como, O Panorama e Revista Universal Lisbonense, ao mesmo tempo que convive com os escritores, Herculano, Garrett, Latino Coelho, e traduz Shakespeare e Victor Hugo.

         Bulhão Pato era extremamente supersticioso, não comendo com treze pessoas à mesa, ao mesmo tempo que não dispensava, como aprendera com Alexandre Herculano, voltar o pão, quando estava com o lar para cima, para que não ocorresse alguma morte na família.

         Encarnando uma figura marcante de um certo romantismo declamatório e decadente de finais do século XIX, foi caricaturado por Eça de Queirós em Os Maias, com a personagem do poeta Alencar, o que despoletou uma feroz polémica, de que faz parte a poesia eciana:

«O Alencar d’Alenquer

Que quer? Na verde campina

Não colhe a tenra bonina

Nem consulta o malmequer…

Que quer? Na verde campina

O Alencar d’Alenquer

Quer menina!»

(Eça de Queirós, Os Maias, Lx, ed. Círculo de Leitores, p. 172)

 

         A sua estreia no universo literário ocorre em 1850 com a obra Poesias, embora se torne mais conhecido com o poema romântico Paquita (1856) que, por um lado, é elogiado por Herculano, a quem o dedica, e por outro, é negativamente criticado por Eça que o define como um poema «frouxo, líquido, limitado, escrito por um espírito meigo e simpático, por um moço de bela alma e de honesta consciência».

         Bulhão Pato é um poeta do ultra-romantismo, cujas maiores influências remontam a Lamartine, a Byron e ao poeta espanhol António de Trueba, que, deixou obra também em outros géneros literários como, um livro de receitas, O Cozinheiro dos Cozinheiros (1871), - não se esqueça o prato a que ficou ligado o seu nome «Ameijoas à Bulhão Pato», embora não exista qualquer registo sobre ele, aliás, na Arte de Cozinha (1875) de João da Matta, reeditada em 1993, pode ler-se no prefácio assinado por Melo Lapa que, o prato de amêijoas se deve ao citado Matta, feito como homenagem ao seu amigo Bulhão Pato; a este último podem atribuir-se os seguintes pratos: «Lebre à Bulhão Pato», açorda à andaluza, perdizes à castelhana e arroz opulento -, obras de memórias e biografias como, Sob os Ciprestes. Vida Íntima de Homens Ilustres (1877), e Memórias I – Cenas de Infância e Homens de Letras (1894).

                                                       José Lança-Coelho

PENSAMENTO: «Morrer! Que suave desfecho, se o desfazer-      -se a vida a desfibrações lentas não custasse tanto.» - Camilo Castelo Branco (1825-1900)

PROVÉRBIO: «Setembro molhado, figo estragado.»

DIÁRIO: “Como as aulas não abrem tão cedo e nada temos estes dias a fazer em Lisboa, regressámos a Fontanelas para um fim-de-semana. Chove. Todo o caminho choveu pesadamente. Mal se via a estrada. Agora chove ainda, mas serenamente. A caruma do pinhal do pinhal avermelhou. Os pinheiros enegreceram, ressumando aguaceiro. Gosto de ouvir cair a chuva. Mas com a caruma, mal se ouve. Desoprimido da sufocação de Lisboa. Respira-se melhor.» Vergílio Ferreira, Conta-Corrente I (24 de Setembro de 1976)

EFEMÉRIDES:

1789 – Morre, em Lisboa, o jurista Pascoal de Melo.

1834 – Morre D. Pedro IV, rei de Portugal e primeiro imperador do Brasil.

1862 – Nasceu, no Rio de Janeiro, a escritora Júlia Lopes de Almeida.

 

publicado por cempalavras às 23:06
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Pedro Lopes a 5 de Fevereiro de 2013 às 01:03
Boa noite, gostaria de o convidar para colaborar com um projecto online. Peço-lhe que me contacte para pjunqueiralopes@letra1.com , por forma a poder apresentar-lhe este projecto.
Obrigado


De Pedro a 21 de Março de 2013 às 19:51
Boa noite,
não querendo incomodá-lo com esta questão, peço-lhe que me envie um email para pjunqueiralopes@letra1.com, por forma a que possa convidá-lo para um projecto.
Obrigado


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. ...

. DIÁRIO IRREGULAR

. ORAÇÃO A DEUS, de VOLTAIR...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Setembro 2012

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds